Criar um blog ou um site é uma tarefa fácil hoje em dia. Existem sites, como o Wix, WordPress ou Blogger, que te permitem criar um site em apenas alguns minutos. Mas se o que queres é ter um blog de qualidade, simples de utilizar e com um bom posicionamento web o que te recomendo é que instales WordPress num host e que compres um domínio.

Existem alguns passos que tens de seguir para poder criar o teu site sem ter de pedir a um profissional que o faça. Podes demorar um pouco mais em descobrir como funciona cada coisa, mas mesmo assim não é um procedimento difícil de realizar.

Neste artigo vais aprender:

  1. Razões para criar um blog ou um site
  2. Primeiros passos para criar um site
  3. Passos para criar um site com WordPress
  4. Configurando WordPress por primeira vez
  5. Configurando Google Webmaster Tool e Google Analytics 

Se tiveres alguma questão, não hesites em fazê-la nos comentários.

Vamos lá!

Razões para criar um blog ou um site

Sem ir mais longe, posso-te contar a minha experiência pessoal na empresa onde trabalho e no que fui vendo ao longo destes anos.

Foi graças ao blog da BQ (Mibqyyo) que consegui trabalho em Espanha. Quando comecei a trabalhar não conhecia um blog corporativo como este, onde se publicavam artigos para ajudar ao utilizador, existia um fórum especializado em todos os terminais, e as noticias mais recentes da companhia estavam sempre publicadas ai.

Como sabem, a BQ é uma empresa relativamente jovem, mas acredito vivamente que foi por causa do seu blog e da sua proximidade com o cliente que agora são uma das marcas mais conhecidas da Europa.

Ter um site pode custar-te cerca de 25€ por ano ou 2€ por mês…

Se pensas criar um site, considera em incorporar-lhe um blog. Um blog não serve apenas para indexar páginas no Google, serve também para aproximar-se ao cliente, informar e até conseguir novos clientes!

Hoje em dia todas as empresas têm um blog corporativo ou privado oculto, isto é, um blog criado por elas mas que não se relaciona diretamente. É uma das muitas técnicas para conseguir novos clientes.

A empresa “A”, que vende carros, cria um blog “B”que faz reviews de carros e fala de tudo o que alguém que gosta de carros quer ler. Este blog “B” não se identifica como blog de “A”. Assim, indirectamente, a empresa “A” vai conseguir novos clientes graças às recomendações que se faça no blog “B”.

Mas não só para as empresas é importante ter um blog

Se gostas de escrever ou queres partilhar com o mundo os teus trabalhos, um blog é uma boa forma de o fazer. Cria algo único e que transmite a todos como és realmente.

Para conseguir emprego é uma excelente estrategia também. Não só para pessoas que vivem da Internet como eu, mas para qualquer trabalho. Imagina mostrar o teu curriculum através de um site. Não só demonstra que estás sempre atualizado às últimas tecnologias, se não que te permite mostrar quem és de uma forma única e diferente.

Primeiros passos para criar um site

Para criar um site precisas de:

  • Um domínio, que é a URL da tua web.
  • Um hosting, que é o espaço onde se guardam todos os ficheiros da tua web.
  • Um tema, que é o aspeto da sua web.

Podes conseguir quase todos estes requisitos gratuitamente. Contudo, se queres criar um site profissional o melhor será analisar todas as opções e, se for possível, comprar um bom hosting e um tema de WordPress que se adapte ao teu projeto.

Escolher o domínio

Este é o primeiro passo que deves realizar. Podes procurar, por exemplo, no NameCheap, onde encontrarás alguns domínios a 0,99€.

Da última vez que comparei os preços dos domínios, nos sites portugueses eram muito mais elevados, assim que compara também com sites internacionais.

Antes de comprar um domínio que esteja disponível, tem em conta o seguinte.

  • O domínio tem de ter uma relação com a tua marca e o com o que queres mostrar no seu site.
  • Se for possível, utiliza palavras-chave que permitam aos clientes encontrar a tua web mas também que a permita posicionar melhor no Google. Para saber mais sobre palavras-chave vê este artigo.
  • Evita utilizar domínios de segundo nível como .mobi, .travel, .info.
  • Se o teu negocio for local ou nacional, utiliza os domínios geolocalizados (.pt, .br, .es,…).
  • Se o teu negocio é ou pode chegar a ser internacional, utiliza o .com.
  • Não uses mais do que 3 palavras no domínio. Um dominio muito grande é difícil de memorizar.
  • Se for necessário, utiliza apenas um “-“ na URL do seu domínio.

Pensa sempre como se fosses um cliente ou um leitor. Achas que o teu domínio pode ser confundido, esquecido facilmente, ou que é difícil de pronunciar ou escrever? Se a resposta é sim, muda de domínio e pensa noutro melhor.

Escolher o hosting ou alojamento web

Esta é uma das tarefas mais complicadas. Existem hostings gratuitos, mas não são recomendados para quem quer algo com qualidade e bom desempenho.

O melhor é ver as criticas e comentários de outras pessoas do sector. Na minha opinião os melhores são

  • Frantech – O mais barato e com uma relação qualidade preço aceitavel. Se estás a começar e não queres gastar muito dinheiro num host, por 15$ tens um host de 20 GB no qual podes meter quantos sites quiseres.
  • Hostgator – Um dos hosts mais conhecidos e equilibrados do mercado. O seu preço é um pouco superior ao anterior, mas também a sua qualidade é superior.
  • WebEmpresa – É considerado por muitos como um dos melhores hosts da Peninsula Ibérica. É rápido e muito eficiente. Agora, é demasiado caro a meu parecer para tudo o que oferece.

Outros hosts que deves ter em atenção:

Os 3 primeiros host são bons e têm uma grande experiencia no mercado. Para mi o melhor é Frantech, não só pela qualidade mas pelo serviço técnico. Não tem uma velocidade assombrosa, mas por 15€ tens um host com 20 GB de armazenamento. É o que eu utilizo e, apesar de não ser o mais rápido que existe, por esse preço, não há nenhum melhor.

Além dos que referi no artigo, tens outros portugueses que te podem interesar como Dominios ou PTWS. Contudo, e tendo em conta o que oferecem, não seriam a minha escolha.

Existem outros mais baratos (sim, ainda mais baratos) para quem está a começar ou não tem muita ambição, mas pecam principalmente pela velocidade do servidor, o que torna o site lento, e na demora de resposta do seu serviço técnico.

Vou-te dar uma dica que te pode ser muito útil: como saber que host usa um determinado site?

Ao comprares o hosting é possível comprar também um domínio, e desta forma associá-lo diretamente a esse hosting. Se já compraste o domínio ou o host terás de fazer a associação manualmente.

Escolher um tema de WordPress

Os temas de WordPress são as “capas” de personalização que podes instalar. É uma forma fácil de mudar o aspeto da tua web, mas não só. Muitos temas estão otimizados com códigos que melhoram o posicionamento e a velocidade do site.

Existem temas gratuitos para WordPress. Podes encontrar alguns dentro do próprio WordPress, mas também em muitos hosts, como por exemplo, os de Web Empresa. Normalmente não são tão bonitos nem permitem uma personalização elevada, mas mesmo assim, para começar, não estão nada mal.

Podes encontrar temas premium para WordPress em ThemeForest. Foi aqui onde comprei o meu e até hoje não me arrependo da compra. Todos os temas têm suporte e permitem uma live preview antes da sua compra.

THemeforest

Além da parte estética do tema, tem em conta os extras que incorpora, já que muitas vezes podem trazer plugins premium como o Visual Composer, ou o WPML, perfeito para quem quer traduzir a sua web, ou podem estar adaptados com o WooCommerce, perfeito para lojas online.

Passos para criar um site com WordPress

Agora que já pensaste no nome do domínio, no host e no tema, chegou o momento de realizar as compras.

Associar o dominio ao host

Após ter todos os dados, associa o host ao domínio. Se compraste o domínio com o hosting é possível que já esteja associado. Se não for assim, apenas precisas de saber o nome dos dois servidores do host e associá-los ao domínio.

Os nomes dos servidores normalmente são enviados por email. Se não forem, entra no Administrador do Host e procura os nomes dos servidores.

No meu caso, apenas tenho de entrar no Web Host Manager e entrar no menu “Basic cPanel & WHM Setup”.

Web Host Manager

Os nomes dos servidores podem ser com letras ou números. 

Agora que já os tens, entra no site onde compraste o dominio e procuras a opção para administrar DNS. Quando aqui estiveres, apenas tens de mudar os nomes dos servidores com os que encontras-te anteriormente.

DNS

Fácil verdade?

Este procedimento é o que tens de seguir se compraste o Host com a Frantech e o dominio no GoDaddy. Tem em conta que este procedimento muda tendo em conta as configurações do site do domínio e do host que compraste.

Instalando o WordPress no Host

Quando isto estiver configurado, instala o WordPress no host. Pode fazê-lo manualmente, ou através do C-Panel. Quase todos os C-Panel de hoje em dia incorporam a opção de instalação rápida de WordPress como o da seguinte imagem. Se não for assim, vê este tutorial.

instalar wordpress web - como criar site com wordpress

Configurando WordPress por primeira vez

Depois de instalar WordPress no teu blog ou site, entra com o utilizador e a password que escolheste através da seguinte URL: www.(nome do teu site).com/wp-admin. Como podes ver, apenas tens de adicionar o /wp-admin ao fim para aceder ao painel de controlo.

O primeiro que tens de fazer é o seguinte:

  • Entra em Opções através da barra lateral esquerda e depois em todas as sub-categorias. Recomendo que vejas todas as opções. Isto te ajudará a localizar as configurações da tua web, o que pode ser muito útil se no dia de amanhã precisares de fazer algumas modificações.
  • Em Opções > Ligações permanentes é importante que escolhas a opção “Nome do artigo” ou cries uma ligação permanente personalizada com o nome da categoria e o nome do post, por exemplo. Eu recomendo que deixes apenas com o nome do post. É mais simples, faz com que a URL seja mais curta e é melhor identificável por Google, o que ajuda ao SEO.
    ligacoes permanentes wordpress - criar um site com wordpress
  • Em Opções > Partilha podes conectar o teu blog ou site às diferentes redes sociais na que se encontra, para poder partilhar mais rapidamente os teus post.

Depois de analisar as configurações gerais, é importante que instales o teu Tema em Apresentação > Temas. Depois disso verás um novo menu com as definições especificas do seu tema. Sugiro que as vejas uma por uma e se tiveres alguma questão que contactes com o criador.

Criar categorias

Depois de estar familiarizado com a tua web, cria as categorias. Não devem existir mais de dois níveis nas categorias, isto é, que dentro de uma categoria existam subcategorias, mas que o mesmo não aconteça com as subcategorias. Quantas mais ramificações, mais fácil será a divisão do conteúdo e mais difícil será a indexação no Google.

Escolhe categorias gerais e que incorporem palavras-chave que queres posicionar. Para ser mais especifico podes utilizar as etiquetas.

Agora que crias-te as categorias, entra em Apresentação > Menus e organiza-as como quiseres. Através deste menu também podes organizar as páginas, que como o nome indica, são páginas que podes criar mas que se caracterizam por ser estáticas, ao contrário das categorias que se actualizam quando um novo post a integra.

Instalando Plugins

Os plugins de WordPress permitem modificar o aspecto dos teus post, do teu site, ou modificar aspectos internos que podem não ser visíveis aos leitores ou clientes mas que podem ser importantes para ti ou para a Google.

Para instalar um plugin apenas tens de entrar em Plugins > Adicionar novo e pesquisar pelo plugin, ou, caso já o tenhas em formato zip, carregar plugin.

Se não estiveres a conseguir instalar o plugin desta forma podes instalá-lo manualmente através do teu host. Para isso apenas tens de seguir esta direção “public_html/wp-content/plugins”, e descomprimir nessa pasta o plugin.

Quais são os plugins que deves instalar?

Não instales Plugins sem antes saber para que servem e se são realmente necessários. Para todos os sites, a minha recomendação de plugins é a seguinte:

SEO By Yoast

SEO by Yoast

Este plugin de SEO é o melhor de todos. Com ele tpoderás otimizar o teu site em todos os sentidos. É o primeiro plugin que instalo em todos os meus sites.

Jetpack Jetpack

 

Apesar de ser um plugin pesado, tem imensas opções. Eu o vejo como um SuperPlugin que incorpora pequenos micro-plugins que podes ativar caso assim precises. Neste plugin encontrarás desde galerias, até formulários de contactos e contador de visitas. En fim, antes de instalar qualquer outro plugin, vê todas as opções do JetPack.

Broken Link Checker

Broken Link Checker

 

Pode não ser necessário ao principio, mas convêm saberes que este plugin existe. Com ele poderás encontrar os links que estão rotos e que não funcionam. Podes instalá-lo e deixá-lo desativado para quando o precisares. É assim que eu o tenho.

Cloudflare

Cloudflare

Como disse anteriormente, o meu host é o da Frantech, pelo que não é muito rápido. Contudo, podes melhorar a velocidade do teu com CloudFlare, um serviço CDN gratuito com opções de pago que melhora a velocidade do teu site.

WP Smush.it

SMushit

Em qualquer site, a otimização das imagens é muito importante para melhorar a velocidade do site e não encher demasiado o armazenamento do host contratado. Este plugin otimiza as imagens, reduzindo o seu tamanho, mas sem perder qualidade.

W3 Total Cache

W3 Total Cache

É um dos melhores plugins para aumentar a velocidade do site, já que utiliza a cache para poder abrir muito mais rapidamente. Se tens um site estático, este plugin tem de ser instalado!

Wordfence

WordFence

Tal como tudo o que esteja na Internet, o teu site pode ser atacado. É por isso que ter instalado um plugin como Wordfence nunca é demais. É um super plugin que incorpora imensas funcionalidades tais como um firewall, um scanner de malware, bloqueador de IP’s, etc.

Akismet

Akismet

Ao instalar WordPress, verás que este plugin já vem instalado. A razão disso é pela sua eficacia. Ao ativares este plugin bloquearás os comentários com spam que possas receber. 100% essencial.

BackWPup

Backup free

Pouco há que dizer sobre este plugin. Poderás fazer Backups do teu site em WordPress quando quiseres e com poucos clicks.

Existem muitos mais plugins que podem ser-te úteis para o seu site. Se quiseres ver mais convido-te a ver a lista que fiz para ti: Os 50 melhores plugins para WordPress.

Como aumentar o limite de upload de ficheiros no WordPress

Ao instalar o WordPress existe um limite de upload de ficheiros. Este limite pode ser alterado manualmente caso necessites de subir um ficheiro com mais de 2 MB (o tamanho predeterminado).

Entra no CPanel e procura esta opção:

PHP

Depois, tens de tocar em “Switch to PHP Extensions” para que apareça o seguinte painel. Quando aparecer, mudas onde diz “post_max_size” e guardas.

post max size

Mas se não tiveres esta possibilidade ou se mesmo assim não mudar nada, pode fazer o seguinte.

Entra na raíz do diretorio do teu site, através do CPanel, e alterar algum dos seguintes ficheiros:

functions.php

Neste ficheiro basta copiar e colar:

1
2
3
@ini_set( 'upload_max_size' , '64M' );
@ini_set( 'post_max_size', '64M');
@ini_set( 'max_execution_time', '300' );

php.ini

Se existir este ficheiro, apenas tens de mudar os valores que estão em baixo. Caso não exista, podes criar um ficheiro com este nome e incorporar o seguinte:

1
2
3
upload_max_filesize = 64M
post_max_size = 64M
max_execution_time = 300

.htaccess

Abre ou cria um ficheiro .htaccess e muda ou insere o seguinte:

1
2
3
4
php_value upload_max_filesize 64M
php_value post_max_size 64M
php_value max_execution_time 300
php_value max_input_time 300

Antes de mudar qual for o ficheiro, faz o download do ficheiro original. Caso aconteça alguma coisa, basta apagar o que esta e subir o que transferiste antes de mudar os parâmetros.

Configurando Google Webmaster Tool e Google Analytics

E para terminar falta configurar corretamente o site com Google Webmaster Tool e com Google Analytics. Com o primeiro podes enviar informações do teu site ao Google. Com o segundo podes ter uma informação mais detalhada sobre os visitantes do site.

Google Webmaster

Para associar o seu site a Google Webmaster Tool apenas precisamos de entrar no seu site, e adicionar um novo site. Adicione a URL e depois complete a verificação com 1 dos 5 métodos disponíveis. Agora apenas tem de seguir as recomendações de Google:

Configurar Google Webmaster Tools - criar um site com wordpress

Além disso, recomendo que atualizes o roots.txt. Este ficheiro permite indicar a Google o que não queres que ele indexe. No meu caso, o ficheiro é este:

ficheiro robots - criar um site com wordpress

Google Analytics

Com o Google Analytics podes seguir o mesmo procedimento de ativação. Entra no site de Google Analytics, depois em Administrador e cria uma nova conta. Agora, apenas tens de incorporar o script com o ID de seguimento no Head do teu site. Normalmente todos os temas de hoje em dia incorporam uma secção de incorporação de código CSS, <Head> e <Footer> onde podes incorporar facilmente este código.


Todos os passos que aqui indico são os que eu sigo ao criar um site com WordPress. Depois disto há muito trabalho por fazer, mas tudo depende de quais são os seus objetivos.

Depois disto, e antes de que comeces a incorporar conteúdo, recomendo vivamente que conheças um pouco sobre o que é o SEO e o que podes fazer para melhorar o teu site ainda mais. Para isso vê:

Se tiveres alguma sugestão ou dica partilha com todos nos comentários.

 

Este artigo atualizar-se-a com mais e melhores dicas ao longo do tempo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 5,00 out of 5)

Loading...

Se gostaste, partilha!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrBuffer this page
  • João

    Excelente artigo!
    Hoje em dia criar uma pagina web através de uma CMS (WordPress, Joomla, Drupal) está ao alcance da maioria das pessoas o que abre a porta a um novo mundo de possibilidades.
    O WordPress (CMS falada neste artigo) é sem duvida a melhor opção para a criação de blogs (devido a todas as suas funcionalidades e suporte comunitário) e paginas web para utilizadores menos experientes.
    Continue com o bom trabalho!

  • Pingback: Como aumentar as vendas na internet - Domingo Gomes()